Garganta - Aftas

Em linhas gerais, baseia-se no uso de antiinflamatórios, imunossupressores, antibióticos se necessário, ingestão de iogurte e lactobacilos, e controle emocional com psicoterapia ou medicação caso o componente psicogênico desempenhe um papel importante.
tratamento-afta

Herpes simples, úlceras traumáticas e lesões vésicobolhosas.

As aftas não possuem fase vesicular, diferentemente do que ocorre com o HSV. As traumáticas possuem história característica, enquanto as lesões vésico-bolhosas, além de quadro clínico diferente, possuem padrão histológico e laboratorial (imunofluorescência) distintos.

diagnosticoafta

setinha Lesões aftóides
Aspectos clínicos


setinha Menores (Doença de Mikulicz)
Localizadas na região gengival, bem delimitadas, esbranquiçadas, com halo eritematoso, até 1,0 cm de diâmetro, duram de 7 a 10 dias. Associada história familiar, deficiência de Ferro e vitamina B12 e doença celíaca.


setinha Maiores (Doença de Sutton)
Menos freqüentes, mais severas, múltiplas, 1 a 3 cm de diâmetro, duram de 6 semanas a 2 meses. Podem deixar cicatrizes após remissão.


setinha Herpetiformes
Pequenas, múltiplas (2 a 200), dolorosas.Diferenciam-se do herpes pela ausência da fase vesicular e do HSV.

diagnostico-afta

A Estomatite aftóide recidivante (E.A.R.) trata-se de doença de etiologia desconhecida, caracterizada pela presença de lesões ulceradas, solitárias ou múltiplas que se curam num período que varia de 1 a 4 semanas e que se repetem a intervalos regulares.


Fatores de Risco
setinha Infecções virais (HSV, EBV),
setinha Bacterianas (Streptococcus sanguis),
setinha Déficits nutricionais (vitamina B12, ácido fólico, ferro),
setinha Alterações hormonais,
setinha Estresse,
setinha Trauma,
setinha Alergia a alimentos (chocolates, glúten)
setinha Alterações imunológicas